Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rótulos | Dicas para escolher iogurtes no supermercado


 


E hoje é dia de...dia de... rótulos! Hoje sobre iogurtes, um tipo de alimento que é bastante consumido devido à sua praticabilidade e rapidez para transportar. Primeiro que tudo, e antes de vos falar sobre a sua composição, comecem a seguir as seguintes dicas:
 
  • Desconfiem sempre! Sabem bem que há bastantes alimentos na moda, e por isso mesmo, as marcas têm de se adaptar e produzir produtos que estejam adequados à época. 
  • Escolham sempre os mais simples: Se quiserem adicionar fruta ou cereais, façam-no em casa. 
  • Tenham em atenção os rótulos: Claro que não quero que percam um tempo infinito a olhar para os rótulos de todas as embalagens, mas hoje em dia os rótulos estão disponíveis na internet. Ou então, se já forem com os iogurtes que vão comprar definidos, não ponham em hipótese experimentar outros. Analisem primeiro e depois é que compram.
Agora vejamos a tabela seguinte: 




Consoante o que disse anteriormente,e se repararem, quando vamos analisando os iogurtes, sempre que se adiciona algum ingrediente, a sua composição vai mudando. Ou seja, vai aumentando a quantidade de açúcar ou de gordura. Por isso meso, é fundamental que tenham atenção no momento de escolha. Podem crer que é muito mais saudável.

- Reparem quando passamos de iogurte natural para natural açucarado, uma diferença muito grande de açúcar. Se não gostam de iogurte natural a minha dica é que coloquem fruta para adoçar (banana/maçã cozida/pera), ou então que optem por iogurte de aromas. Mas nunca o açucarado.

- Não coloquei marcas nos iogurtes gregos, as quais representei por X e Y, mas vejam bem as diferenças que podem existir entre eles quanto à gordura e açúcar. É importante que estejam atentos a isso.  Eu normalmente consumo o iogurte grego ligeiro do lidl, gosto imenso dele. 

- Quanto a iogurtes vegetais, colocasse a mesma questão. Adicionando pedaços, o valor calórico, e o açúcar aumenta bastante.

Ou seja, e concluindo, são estes pormenores todos que influenciam bastante a nossa alimentação, a quantidade de açúcar e gordura ingerido e no final de tudo... a nossa saúde! Como eu digo sempre, ´tirando um bocadinho´de cada refeição/alimento não custa nada, e no final faz uma grande diferença! 

 
 
 
Sigam a nossa página no facebook e no instagram 😍 

Para marcação de consultas e/ou informações:

Email: mariagama@poetenalinha.pt |

Telemóvel: +351 927 508 410



Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! 



Dicas | Ter uma alimentação saudável não é...


E porque a maioria das pessoas pensa que uma alimentação saudável é sinónimo de dieta e que isso significa que temos de comer bife de peru grelhado e peixe cozido todos os dias: ERRADO!
 
Uma alimentação saudável é um estilo de vida, é querer ser saudável. Como já partilhei com vocês, e como Nutricionista que sou, pratico uma alimentação saudável. Isto não significa que de vez em quando também não faça os meus erros alimentares! Mas sim, organizo-me no sentido de conseguir ter refeições equilibradas, saborosas, não deixando nenhum alimento de lado (sim, como hidratos de carbono ao almoço e ao jantar). Além disso, pratico desporto, fundamental a uma vida saudável.
 
Ter uma alimentação saudável não é:
  • Comer só cozidos e grelhados;
  • Deixar de comer arroz, massa, batata, ervilhas, grão, feijão;
  • Deixar de comer pão ou cereais;
  • Deixar de comer fruta, nomeadamente banana, dióspiro, manga, papaia;
  • Comer apenas um iogurte ou 1 peça de fruta ao lanche; 
  • Comer apenas uma saladinha ao almoço;
 
E acima de tudo, não é passar fome! Pelo contrário, ter uma alimentação saudável é:
  • Comer bem!!!
  • Comer todos os alimentos de forma adequada e equilibrada: Dependendo dos nossos gostos e de alguma patologia que possamos ter, podemos comer pão, cereais, lacticíneos, fruta, arroz/massa/batata, peixe/carne assada/guisada/estufada/cozida/grelhada, legumes ou saladas, frutos secos, ovos...
  • Comer frequentemente, de acordo com o nosso dia-a-dia (pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche, jantar e se necessário, ceia);
  • Incluir sopa ao almoço e ao jantar (o que é que custa? Não arranjem desculpas para não comer este alimento, ou é porque está calor ou é porque ficam cheios e já não conseguem comer o segundo prato...). Irá ajudar-nos a manter a saciedade ao longo do dia. Mas, se um dia não lhe apetecer, não tem de comer!
  • Deixar de lado alimentos processados, como bolos de pastelaria, bolachas, donuts, bolicaos etc...Podem crer que isso sim, pode ficar de lado, e para sempre! Pois não faz falta nenhuma! Não comer pão e depois comer bolos?!? Não!
  • Reduzir a quantidade de gordura que utilizamos para fazer as nossas refeições;
  • Não comer pão à refeição. E porquê? Porque já comemos ou arroz, ou massa, ou batata-doce, ou grão ou feijão... Que tal deixarmos para os intervalos das refeições?
 
Agora e importante, uma alimentação saudável inclui por vezes fazer um erro alimentar. Não é por ter um aniversário ou um casamento e comer uma fatia de bolo que deixar de ter uma alimentação saudável! O importante é saber que no dia seguinte não irá fazer novamente nenhum erro alimentar e até pode ir dar uma caminhada. Tudo com conta, peso e medida.
 
Além disso, e para terminar, ter um estilo de vida saudável e entenda-se disso praticar exercício físico, não é ir 3h para o ginásio. É sim, praticar exercício físico consoante as suas necessidades e de acordo com o que gosta. 30 minutos de caminhada 4x por semana é assim tanto? Claro que, é fundamental que seja acompanhado por um profissional de desporto que defina o que deve fazer.
 

Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! 

 



Partilha pessoal | A minha 2ª Meia Maratona

 


Fotografia de Luís Clara Duarte

Ontem foi dia da minha segunda meia maratona :) 

Custou um bocadinho, mas foi. Mas, custou bem menos que a primeira meia maratona, a dos Descobrimentos. Além disso, melhorei a velocidade, o que também me deixou contente. Fiz em 1h52m43S. Fiquei em 1153º lugar/2162 :) Na primeira meia maratona tinha feito 1h54m :)

Para os muitos que me acompanham e que me seguem, já devem saber que quando comecei a correr não era de todo o que gostava de fazer. Isso mudou! Faço questão de vos falar da minha evolução na corrida deste o início para perceberem que as coisas não começam de um dia para o outro. É preciso organização, motivação, e acima de tudo superação!
 
 
Ou seja, as coisas vão-se fazendo caminhando! Há corridas em que o tempo é maior, há lesões em que temos de ficar parados durante uns meses, há dias em que estamos mais cansados, há semanas em que só conseguimos fazer duas corridas.. A vida é mesmo assim.. mas não desistam! :)
 
Por isso mesmo, algumas dicas para quando falta a motivação para a prática de exercício físico:
  • Não conseguem levantar-se às 6h00 da manhã para pratica exercício físico (como eu), agendem uma hora ao fim-da-tarde ou à noite.
  • Definam na vossa agenda os dias em que vão praticar exercício físico, ou seja, fechem mesmo esse horário para o fazerem. Assim não dá aso a que marquem outras coisas nessas horas.
  • Definam quantos dias querem pratica exercício físico: Se definem 4x por semana e por acaso não conseguem ir num dia, nem que depois vão dar uma caminhada em dois dias seguidos! 
  • O cansaço psicológico das horas de trabalho é completamente diferente do cansaço do exercício físico: O melhor que podem fazer depois de um dia de trabalho, de ansiedade ou de preocupação, é mesmo sair de casa e nem que seja fazer uma caminhada! 
  • É difícil porque têm de preparar o jantar? Acredito porque também tenho de o fazer! Mas o segredo está na organização... Se deixarem tudo minimamente preparado de véspera, grelhar um bife ou abrir uma lata de atum não custa nada nem demora tempo nenhum!
  • Criem os vossos objetivos pessoais: Na terça-feira só tinha tempo para correr 30 minutos, ou seja, defini que ia correr 5Km mas no tempo mais rápido que conseguisse! Assim foi, consegui fazer o tempo mais rápido para mim até hoje!
 
Além disso, e ajuda sempre, vão comprar roupa de desporto vos agrade e que vos faça sentir bem enquanto o fazem, por vezes influencia muito.  
 

Mais algumas dicas que acho que vos podem ajudar:

  • Comece devagar: Normalmente quando começamos a praticar exercício físico muitas vezes damos tudo no primeiro treino, ficamos todos doridos e deixamos de o fazer durante uns dias. Não pode ser! Peça ajuda a um profissional de desporto, que o oriente nesse sentido.
  • Defina na agenda e torne prioridade: 3 ou 4 dias por semana para fazerem algum exercício físico: Segunda, quarta e sexta-feira vai caminhar durante 30 minutos, escreva já! Vão ver que se vão sentir tão bem e tão enérgicos que vai começar a fazer parte da vossa semana. Tal como várias coisas na nossa vida (descansar, comer, passear etc) são prioridades, o exercício tem de estar no mesmo patamar!
  • Obrigue-se a ir! Se está a chover usem um impermeável. Se está frio, vão agasalhados. Se têm a casa para arrumar, deixem por arrumar e façam-no a outra hora. Se os horários e os dias já estiverem definidos, não há nada que se sobreponha.
  • Escolha a hora certa: Claro que se tiverem de tomar dois banhos, se tiverem de se andar sempre a vestir... torna isto tudo literalmente uma "seca" (desculpem a expressão). Mas se forem a uma hora em que depois tomam banho e ficam despachados, ajuda imenso. 
  • Compre roupa que vos faça sentir bem: Claro que podemos utilizar qualquer tipo de roupa para praticar desporto, mas na realidade, se tivermos uma calças confortáveis (por exemplo agora no inverno as de licra dão imenso jeito), ténis adequados ao exercício, camisolas e top´s (no caso das raparigas) de uma cor gira etc... sentimo-nos muito melhor para tal. 
 
Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! 



7 dicas saudáveis para aplicar quando vai jantar fora

 PoetenaLinha_Cozinha_lowres-87 - Cópia.jpg Fotografia de Rita Barreto | Still Photography

Comer fora de casa é cada vez mais frequente, o que muitas vezes é um impedimento para começar uma perda de peso ou não ter uma alimentação saudável e equilibrada. Neste sentido, é fundamental que cada um de nós se consciencialize para escolhas alimentares saudáveis quando as refeições não são em casa. Principalmente à sexta-feira ou ao sábado, apetece-nos sair da rotina e fazer um programa diferente. Adivinhei?

 

Fora de casa É possível fazer escolhas alimentares saudáveis. Temos de ter em atenção o local escolhido (restaurantes/cafés/pastelarias), bem como os pratos que constam no menu. A semana passada escrevi sobre a minha opinião sobre o dia da asneira, se quiserem leiam a publicação, aqui.

 

No Restaurante:

 

  • Assim que chegar, peça uma sopa! 
  • Recuse o pão, as azeitonas e os queijos da entrada. Aproveite para comer a sopa enquanto espera pela refeição. No máximo, peça um queijo fresco;
  • Se a refeição não lhe parecer a mais adequada, pode optar por pedir uma sopa para comer antes do prato principal e uma salada ou hortícolas para acompanhar;
  • Peça para lhe colocarem maior quantidade de horticolas ou salada, e reduzirem um pouco no arroz/massa/batata. Normalmente tenho sempre de pedir uma salada à parte porque a quantidade que servem acaba por ser pouca.
  • Faça escolhas: Se lhe apetece mesmo mesmo as entradas, tente optar por um prato mais saudável. Caso lhe apeteçam umas batatas-fritas, deixe as entradas de lado e a sobremesa. Caso lhe apeteça a sobremesa, já sabe, não abuse no resto.

 

Alterações ao prato:

 

  • Quando o prato que pediu não for dos mais adequados, peça para cozinharem o prato de uma forma diferente (Ex: Se o bife for frito, peça para grelhar);
  • Se o prato escolhido vier acompanhado com molhos, peça para estes serem servidos à parte. Opte por uma quantidade mais reduzida ou então por não utilizar;
  • Se o prato escolhido vier acompanhado, por exemplo com batatas fritas, peça para lhe substituírem por arroz ou outro tipo de hidratos de carbono. Se lhe apetecer mesmo as batatas-fritas, não acompanhe também com arroz. 

  

[Isto não significa que vão comer um prato sem sabor ou que não vos agrade. Significa sim algumas alterações que não custam nada e que mantêm a vossa refeição igualmente saborosa]

 

Escolhas saudáveis:

 

  • Tente optar sempre por pratos que sejam grelhados, cozidos ou estufados, em detrimento de fritos;
  • Não adicione molho ao seu prato (Não ponha a hipótese "É só um bocadinho");
  • Comece sempre por uma sopa e termine a refeição com uma peça de fruta;
  • Não tenha pressa. Coma devagar, mastigue bem os alimentos, o que o permitirá perceber quando se encontra satisfeito.

 

Ficam aqui algumas publicações que vos pode ajudar no fim-de-semana:

 

 

Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde!  

LOGO_HORZ_P&V.png

Workshop 'Marmita Saudável'

E vem aí mais um Workshop 'Marmita Saudável'.

Passa a sua hora de almoço sem saber o que fazer?

Traga a sua marmita, almoce connosco e aproveite para saber como devem ser as suas refeições ☺️👌

Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! #poetenalinha #nutrimeio

 

Marmita Saudável.jpg

 

Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! #poetenalinha 

LOGO_VERT_P&V (3).png

 

8 dicas para ajudar as crianças a comer legumes e fruta





Por vezes é uma tarefa difícil fazer com que as crianças comam fruta e legumes, estou certa?  Às vezes quando as crianças vêm
um prato só de uma cor, ou com uma disposição de alimentos que não seja apelativa, é mais provável que deixem de lado esse tipo de alimentos. A solução é tentar melhorar a refeição da criança e não, optar por deixá-la não comer. Não se esqueça de um ponto importante: As crianças têm-nos sempre como modelos. Neste sentido, o consumo habitual deste tipo de alimentos pelo seio familiar torna-se fundamental. Pais, Avós ou Tios, tentem sempre dar o exemplo :)
 
Dicas:
  • Seja o exemplo: Se a criança não quer comer fruta ou legumes, comece por fazê-lo. É fundamental que no seio familiar este tipo de alimentos seja consumido frequentemente, o que poderá motivar a criança a comer alimentos saudáveis;
  • Não opte pela negociação nem recompensa: "Se comeres a fruta, podes ir ver televisão a seguir". Se assim for, as crianças vão habituar-se a que se comerem fruta (essencial no seu dia alimentar), serão sempre compensadas de seguida. A fruta e /ou legumes é para comer sempre, independentemente seja do que for;
  • Não obrigue: Tente perceber ao longo do tempo quais os gostos da criança e o que ela prefere. Após a criança recursar, não insista imediatamente, uma vez que poderá criar um ambiente negativo perante a existência desse tipo de alimento. No entanto, é importante que a criança não tenha outro tipo de alimento como alternativa, uma vez que poderá habituar-se a ter sempre opção quando um alimento não a agrada. No entanto, é importante que a criança tenha contacto novamente com esse alimento. Poderá prepará-lo de forma diferente e num tipo de prato que sabe que a criança aprecia;
  • Seja criativo na disposição dos pratos: Se servir os alimentos de forma divertida, colocando o prato atrativo, por exemplo, com formas de animais ou objetos, será logo o primeiro passo para a criança os querer comer. Tente fazer um prato colorido, com formas ou objetos (Ex: Poderá fazer um prato com um desenho baseado numa história);
  • Fruta para os lanches: Ao fim de semana, quando há mais tempo para passear em família, opte por levar os lanches consigo, incluindo sempre fruta. Deste modo, quando for a hora do lanche, o único alimento disponível é a fruta, pelo que se a criança se queixar poderá sempre referir que não há mais nenhuma opção;
  • A ajuda das crianças: Se as crianças ajudarem na confeção de algumas receitas, que tenha como ingredientes fruta e/ou legumes, de certeza que seguidamente irá haver a vontade de provar "o que fez";
  • Pelo menos tem de provar: Tente que as crianças provem pelo menos o que existe. Senão gostar, não precisa de obrigar. No entanto, precisa de ser paciente e oferecer ao longo de muitas refeições esse tipo de alimentos;
  • Imaginação: Já pensou em colocar Bróculos ou Couve-Flor no empadão que fizer para o jantar? Será uma forma de obrigatoriamente o seu filho estar a ingerir legumes.


Põe-te na linha! Alimenta a tua saúde! 

LOGO_HORZ_P&V.png

Pág. 1/3